26 de fev de 2011

DESABAFO DE UMA DESIGN DE INTERIORES

O que faz um profissional da área de Design de interior?


O que é um projeto de design de interior?

Como funciona?

É a arte de planejar e arranjar ambientes de acordo com padrões de estética e funcionalidade. O profissional harmoniza, em um determinado espaço, móveis, objetos e acessórios, como cortinas e tapetes, procurando conciliar conforto, praticidade e beleza. Planeja cores, materiais, acabamentos e iluminação, utilizando tudo de acordo com o ambiente e adequando o projeto às necessidades, ao gosto e à disponibilidade financeira do cliente. Administra o projeto de decoração, estabelece cronogramas, fixa prazos, define orçamentos e coordena o trabalho de marceneiros, pintores e eletricistas. Pode projetar salas comerciais, residências ou espaços em locais públicos. Esse profissional costuma trabalhar como autônomo, mas pode atuar também como funcionário de empresas especializadas em decoração e design de interiores ou, ainda, como consultor em lojas de móveis.
Uma das coisas mais difíceis para nós profissionais da área de design conseguir tirar fotos dos ambientes em casa de clientes, isso por vários motivos como: você precisa da autorização do cliente e normalmente a casa está funcionando então está tudo fora do lugar.
Mas, o que é muito comum e que me deixa realmente maluca e triste é que no final da obra o ambiente está completamente diferente do que foi projetado.
Vou descrever como é o meu trabalho para vocês verem se há lógica nessa situação.
O primeiro contato é feito por telefone onde o futuro cliente me dá uma rápida descrição de suas necessidades. Marcamos um horário no local do imóvel que será reformado ou na casa que está sendo construída para que eu possa avaliar o imóvel e conhecer pessoalmente tanto o imóvel quanto os futuros clientes.
No dia marcado para essa avaliação (orçamento) conversamos bastante, tiramos algumas dúvidas. Eu falo como é o meu trabalho, explico sobre os prazos, e o cliente fala um pouco sobre os seus desejos e suas necessidades (segundo contato).
Tudo acertado e conversado eu envio por email uma proposta com preço e prazos (orçamento) no qual estão detalhado todos os itens que o futuro cliente citou que deseja e o que será feito no projeto. Caso falte algum detalhe peço ao cliente que entre em contato para que não fique nenhum item de fora ou nenhum mal entendido.
Ok. O cliente aceitou minha proposta, então elaboro o contrato e marco novamente outro dia, de preferência um dia em que temos tempo livre para conversarmos abertamente sobre tudo que a cliente e os familiares precisam. É importante que o cliente fale abertamente que tipo de material deseja, se quer tudo de luxo ou que economize o máximo que puder.
Um exemplo: Se ele quer um mármore importado, um nacional ou prefere uma cerâmica. Isso nos dá um parâmetro de quanto ele deseja gastar.
E não precisa se preocupar porque o preço do meu trabalho é igual para o cliente que quer gastar 100 mil, 50 mil ou 10 mil. Até porque o valor do projeto já foi apresentado.
Sugiro ao cliente que me envie fotos de coisas que eles gostam e não é para copiar, porque dessa forma o próprio cliente poderia fazer, mas para ter uma noção do que ele deseja e do que ele gosta.
Ia me esquecendo, pergunto também se existem móveis e peças que já existem que eles querem aproveitar. Claro que vocês não precisam comprar tudo novo, podemos e devemos aproveitar o máximo possível.
Contrato fechado, tudo explicado para ambas as partes e de posse das medidas do ambiente eu começo a trabalhar no anteprojeto.
Como eu trabalho no anteprojeto?
Estudo qual o melhor layout em planta-baixa (auto CAD) e escolho qual o melhor para fazer uma perspectiva em (3D- Sketchup). Nesta perspectiva eu tento humanizar da melhor forma possível para que a cliente visualize melhor no dia da apresentação.
As alterações no anteprojeto devem ser feitas antes do projeto-final, então eu deixo estas imagens em 3 D com o cliente para que ela e seus familiares possam discutir se gostaram ou não, e para que possam listar o que deve ser modificado.
De posse de todas as informações eu começo a trabalhar o projeto final, com as seguintes pranchas (desenhos):

- planta-baixa de layout (circulação e distribuição de mobiliário)

- planta-baixa (construir e demolir paredes);

- planta de tomadas e interruptores;

- planta de gesso;

- planta de iluminação;

- paginação de pisos e paredes;

-detalhamento de móveis;

- vistas e cortes com todos os detalhes necessários.

Todas essas plantas são entregues ao cliente para que a obra possa ser iniciada. Juntas elas levam em conta a combinação de cores, luzes, texturas e volumes de modo a alcançar unidade e equilíbrio. Todas são planejadas respeitando o estilo de vida e gosto do cliente.
Aconselho ao cliente que tire cópia do projeto e entregue as cópias aos profissionais que irão executar a obra.
Bom gente, tudo isso é para você verem como é o meu trabalho e entenderem um pouco o que é um projeto.
Tudo é bem planejado, para que o seu pedreiro, o seu gesseiro, o seu eletricista consiga executar tudo bem direitinho e para que o cliente tenha toda a garantia de que o resultado final ficará perfeito. Certo?
Não. Tudo errado. Pelo menos na prática não é o que acontece.
Por quê?
Um dos motivos é que alguns” profissionais” contratados pelo cliente não sabem “ler” projetos e dizem que sabem.
O segundo motivo é que cada profissional que entra na obra faz uma pequena mudança no projeto.
Vou dar um pequeno exemplo do projeto que acabei recentemente.Uma casa em construção, mas vou falar só sobre o banheiro do casal, porque se eu for falar do restante da residência é capaz de dar espaço para um livro.
Fiz todo o projeto de um grande banheiro, no qual o diferencial eram dois nichos de alvenaria (revestidos de pastilhas ou de granito), esses nichos eram nas laterais da bancada e entre os dois nichos era para ter um jardim seco.
Detalhe: Tanto os nichos quanto o jardim foram pedidos pela cliente, foram apresentadas no anteprojeto e foram aprovados pelos clientes.
Fui à obra duas vezes e conversei com os pedreiros sobre os nichos e enviei email para a cliente pedindo que mostrasse aos pedreiros a perspectivas para confirmar se eles haviam entendidos direito o projeto.
Volto à obra depois de um tempo para escolher as cores das tintas.
Ai que delícia ver tudo prontinho e ficar super orgulhosa do meu trabalho. Será?
Ué?! Cadê os nichos que estavam aqui?
Nenhuma resposta...
Já posso até adivinhar. Ou o pedreiro disse que aquilo era coisa de “decoradora” e que não ia dar certo e a cliente deixou passar ou ele fingiu que esqueceu e ficou por isso mesmo.
Ou seja, acabaram com o diferencial e o charme do banheiro. Isso sem contar que seria a parte funcional, onde seriam colocados cestos para roupas, toalhas e perfumes.
Mas não acabou por aí, porque cada “profissional” que passou por lá deixou a sua contribuição.
A bancada com duas cubas era enorme e tinha um desenho bem detalhado com duas alturas diferentes. Foi executado desta maneira?
Claro que não. Porque os orçamentos que eu fiz em marmorarias de confiança foram descartados e claro que foi feito na marmoraria mais barata e que não seguiu o projeto porque provavelmente achou melhor fazer do jeito deles ou sei lá o quê.
O gesso?
Também foi modificado pelo gesseiro que disse que fez na casa do “fulano de tal” e ficou lindo e convenceu a cliente que deveria mudar o gesso.
Resultado? Mudou o gesso, mudou a iluminação. Isso porque os pontos de iluminação eram direcionados e agora são todos indiretos em um corte no gesso.
E aposto que quando ela for fazer maquiagem vai falar mal e por a culpa toda em mim, não vai nem lembrar que o projeto foi modificado, que ela trocou a luz funcional por uma iluminação estética.
E os revestimentos e o piso que foram escolhidos juntos com a cliente na loja?
Foram comprados todos, com pequenas modificações para diminuir o orçamento. Legal né?
Ai que você se engana. A cliente foi fechar negócio e resolveu que deveria diminuir mais ainda o orçamento. Tudo bem o dinheiro é dela e tem toda razão em fazer isso.
Resultado: a vendedora modificou toda a paginação (desenho e disposição dos revestimentos).
Tá demorando né?
Calma! Ainda falta falar do pintor e do marceneiro.
Graças a Deus eu cheguei antes do pintor, porque fui lá escolher cores com a cliente.
O bendito queria fazer um marmoratto laranja no banheiro. Pode?
Não tinha nada de marmoratto no projeto, muito menos laranja.
E o marceneiro?
Claro que também deu a contribuição dele. Esse eu ainda não tive o “prazer “de ver porque ainda está em andamento a execução da marcenaria, mas a cliente já me informou que ele disse que ficaria ótimo assim e assado.
Eu pergunto:
- De quem é esse projeto?
De todos, menos meu.
E porque o cliente me pagou para fazer um projeto se iria fazer tudo que os outros falaram, isso sem contar nos pitacos de familiares e vizinhos.
E olha que estão previstas visitas à obra para esclarecimento e verificação da execução do projeto.
Então fica a dica se você contratou um profissional da área:
- Antes de fechar o contrato pergunte como o profissional de design ou arquiteto trabalha e o que está incluso no valor do projeto.
- Discuta tudo que você quer mudar antes do projeto executivo, ou seja, no anteprojeto e só autorize o projeto executivo quando tiver certeza que é isso que você deseja. E não se esqueça de ver com toda a família se é isso que todos querem.
- Contrate profissionais que saibam “ler” projetos e deixe bem claro que é para executar do jeito que está detalhado.
- Qualquer dúvida na execução entre em contato com o design ou arquiteto.
No seu contrato não está previsto visitas a obra?
Converse com o profissional que ele te informará se há necessidade de ele ir à obra para esclarecer certas dúvidas. Em alguns casos você consegue esclarecer por telefonema ou por email, em outros temos que ir ao local.
Eu especifico uma quantidade de visitas por projetos e estão já estão inclusas no valor do projeto, mas alguns profissionais trabalham de forma diferente e cobram por cada visita.
- Alguns profissionais não visitam lojas com o cliente para escolher materiais de acabamentos e móveis. Eles apenas especificam no memorial descritivo a escolha adequada de acabamentos e revestimentos e normalmente enviam o orçamento dos materiais e móveis para que você possa comprar.
Eu prefiro sair para escolher com a cliente, porque aí nós podemos ver ao vivo e a cores o que ela realmente gosta e também atende as finanças dele.
É claro que não podemos ir de loja em loja para ver o preço melhor. Normalmente vamos a duas ou três lojas e decidimos o que melhor atende ao projeto.
Nada impede que a cliente vá a outras lojas em outro dia a procura de preços melhores, contanto que fique atenta ao material escolhido. Muitas vezes o “parece” não tem nada a ver, geralmente o atrativo preço e promoção deixam as pessoas “cegas”.
Então é isso gente, desculpem pelo desabafo. É porque fico indignada com essas coisas.
Recebo muitos emails de pessoas dizendo que não tiveram sorte com profissionais de arquitetura e design. Mas será que foi seguido o projeto a risca?
Ou foram feitas alterações depois que o projeto estava pronto? Lembre-se que as modificações devem ser feitas na fase do anteprojeto e não no projeto. O projeto pronto não pode ser modificado, pois implica em mudar tudo, ou seja, é começar do zero um novo projeto.
Para se ter uma casa bonita, funcional, confortável  não é necessário ter grande poder aquisitivo e sim um bom planejamento.

42 comentários:

Ana Paula disse...

Poxa vida! Que sem noção essa cliente! Muito estranho alguém pagar pra projetar e fazer tudo diferente. Pena, por que seu projeto certamente virou outra coisa, sabe lá o que.
Muita calma nessa hora.
Tudo de bom!
Ana Paula
Salinha do Crochê

Larissa Lieders disse...

Oi Ana Cláudia!
Muito boa a sua colocação! Infelizmente, é o que acontece na maioria dos casos... A sensação que dá é que o cliente passa a desconfiar dos nossos fornecedores e dos valores que apresentamos e sempre acham alguém que faz mais barato, mas da maneira que vc descreveu... Horrível!
Uma pena, toda a nossa criatividade, esforço e trabalho guardados numa gaveta...
Bj

RetroMomentos disse...

Muito bom post! É sempre interessante deixar claro a forma de trabalho. ;)

Audrey disse...

Olá Ana Claudia, muito esclarecedor o seu post, mas querida bom é vc arrumar primo pintor,irmão marceneiro, tio pedreiro e por tudo no pacote.Quem te contratar vai junto sua equipe de confiança sem troca, nem choro, nem vela kkkkk.
Aff!! até eu aqui fiquei triste ,tantas horas de trabalho para planejar e num estalo, puf!!!
mudaram tudo.

Beijos,
Audrey

luciana disse...

ola, me solidarizo com seus argumentos, mas devo dizer que ja fui este tipo de cliente para minha arquiteta. E devo destacar alguns motivos no meu caso: Sou uma pessoa que gosta de variar; ela me prometeu uma obra para tres meses e durou mais de um ano, voce imagina quanta coisa nova surge em um ano?????? tambem teve o fato de me sentir precionada para decidir logo sobre o ante projeto, e como não consigo decidir nada de bate pronto, fui mudando pelo caminho. E finalmente, falo isso no meu caso especifico, fui percebendo que muitas ideias maravilhosas que ela tinha me dado, na pratica não eram nada funcionais, ai entre beleza e funcionalidade optei por funcionalidade. Mas voce tem razão no final não acho que ela tenha considerado o projeto dela pois so a essencia permaneceu igual. Entendo totalmente seu ponto e concordo com ele, mas se tivesse seguido integralmente e projeto teria ficado infeliz com o resultado.

Bjo

luciana

Janaina Cassis disse...

Nossa que esclarecedor esse post!
Olha sonho em trabalhar nessa área, até já fiz um curso técnico a muito tempo atrás e trabalhei com dois arquitetos, amo essa profissão, mas hoje não trabalho com isso...
Sabe o que queria saber, existe um cliente que seguiu a risca um projeto?
Digo isso por curiosidade mesmo, porque realmente se paguei pelo seu trabalho e depois de revisto várias vezes o projeto fica claro que ficou tudo certo, e dessa forma estou confiando no profissional que escolhi, certo?
Acho que errado, depois do que li aqui, pena mesmo essas coisas acontecerem...
Bjs mas tenha fé, faça a sua parte e tente não se estressar tanto, se isso é posível né? rs!
Bj

nadja disse...

sou cliente e não profissional da área, mas concordo plenamente com você. Na reforma de minha casa, descobri a dificuldade de encontrar bons profissionais, que saibam interpretar projetos e que se disponham a trabalhar com idéias diferentes, materiais inovadores e propostas diferenciadas.Principalmente aqui em Brasília. A sorte foi ter encontrado profissionais (decoradoras e aquitetas)com bastante experiência na área que me auxiliaram bastante.

Lúcia disse...

Olá
Depois de ler o seu post fiquei a pensar, será que a cliente(s) eram realmente inteligente? Então pede ajuda a uma profissional, paga o serviço que lhe foi prestado porque deve ter achado que sozinha não iria conseguir, e depois altera tudo porque ficava mais em conta??
Então e o que gastou com a designer? Foi para quê?
Além de ficar com um projecto que tem as ideias de todos menos da profissional que procurou em primeiro lugar, ficou com um resultado bem diferente daquilo que aprovou e pagou....

Eu sou apenas uma curiosa nesta area, mas se tivesse dinheiro para contratar uma profissional iria exigir tudo à regra. Então para quê contratar uma designer??

Já para não falar que no seulugar sentiria uma sensação de frustação e trabalho deitado ao lixo.

Bons projectos e muita força
Beijinhos


Lúcia

Lu disse...

Ana, sou arquiteta e padeço com o mesmo problema. Eu sinceramente gostaria de saber oque passa na cabeça das pessoas. Ninguém discute o diagnóstico com o médico,se não se sente seguro procura outra opinião,mas idéias...ahhhh essas todos tem e não Têm parcimônia para usa-las!
Faço do seu desabafo o meu!
Boa sorte!
Beijos, Lu

Cê Vilanova disse...

gente, nesses tempos difíceis tudo que eu queria era poder ter contratado um bom profissional para acompanhar minha obra e ajudar com a sua experiência. Infelizmente não foi po$$ivel e estamos tentando nos virar da maneida que dá, não acredito que pessoas que tem essa oportunidade não sabem aproveitar...
bjs e mais sorte com futuros clientes!

Alessandra Priscila disse...

Adorei seu post! Realmente é uma coisa muito ruim o que acontece. Eu contratei uma design de interiores e tenho gostado muito. até preferi fechar coisas com ela tipo gesso, vidro, espelho...pq assim evito esses contratempos....bjs

Inspirações disse...

Olá Ana Cláudia!
Achei uma delícia (apesar dos pesares!!!)a partilha do teu método de trabalho, o que aliás é super profissional! Adorei a forma como descreves toda a tua metodologia nesta área. Parabéns e que continues a ter muitas solicitações (com clientes e parceiros mais conscientes, claro).
Fica bem, jinhos
Paula

Sandra disse...

Ana Cláudia, como eu já vi acontecer isso!
Sem contar aqueles que pegam as primeiras dicas do profissional e aí já se julgam capazes de fazer tudo perfeito...
Deve ser mesmo muito frustrante!
Sabe qual o único "remédio" contra essa divulgação negativa? Mostre à sua cliente uma foto do banheiro dela ao lado do seu projeto, pra que ela veja claramente que não tem nada a ver uma coisa com a outra...
E paciência, minha amiga, muita paciência!
Beijos

Verônica disse...

Parece que acontece muito mesmo, sou estudante de designer, e pelo contato com muitos profissionais, sabemos o quanto é difícil.
Adorei o desabafo!!

anonymous disse...

Ana Cláudia, muito esclarecedor e oportuno seu texto, pois eu estava mesmo a considerar um profissional de design de interior quando comprar meu sonhado apartamento. Vai demorar um pouco, mas quando chegar a hora, quero inclusive contar com uma equipe indicada pelo design p/ tentar prevenir os problemas relatados por você.
Gostaria de te dar uma sujestão: você escreve muito bem, e disse que se fosse escrever sobre os problemas na casa toda daria um livro... olha, não sei se tem no mercado algo com essa temática, acho que seria inovador e divertido, além de trazer ao público geral uma visão das dificuldades e gratificações (que certamente existem) da sua profissão.
Pense nisso, talvez você não tenha sofrido certas situações à toa...
Um abraço!

Ana Paula Corrêa disse...

Oi, Ana Claudia
Sou arquiteta, e já passei por essas situações algumas vezes. É de frustar qualquer um. Já pensei até em escrever um livro com os problemas que encontrei. O cliente sempre encontrará preços melhores para executar a obra, o que eles não entendem é que qualidade não se encontra em qualquer lugar, nós passamos por inúmeros problemas com essas pessoas, afim de passar aos nossos clientes os melhores profissionais, mas é muito difícil o cliente compreender isso.
Acho importante esses desabafos, eu estava chateada com isso, mas agora vejo que não é só comigo que acontece isso. Gostaria de trocar mais idéias sobres esse problemas em comum, quem sabe conseguimos chegar a alguma solução para esses problemas
Um beijo e abraço, e muita sorte!

Augusto Branco disse...

SER MULHER

Ah, ser mulher!

Ser mulher é ver o mundo com doçura,
É admirar a beleza da vida com romantismo.
É desejar o indesejável.
É buscar o impossível.

O poder de uma mulher está em seu instinto
Porque a mulher tem o dom de ter um filho,
E cuidar de vários outros filhos que não são seus.

Ah, as mulheres!
Ainda que sensíveis
Mulheres conseguem ser extremamente fortes
Mesmo quando todos pensam que não há mais forças.

Mulheres cuidam de feridas e feridos
E sabem que um beijo e um abraço
Podem salvar uma vida,
Ou curar um coração partido.

Mulheres são vaidosas,
Mas não deixam que suas vaidades
Suplantem seus ideais.

Muitas mulheres mudaram o rumo
E a história da humanidade
Transformando o mundo
Em um lugar melhor.

A mulher tem a graça de tornar a vida alegre e colorida,
E ela pode fazer tudo isto quantas vezes quiser
Ser mulher é gostar de ser mulher
E ser indiscutivelmente feliz
E orgulhosa por isso.

- Brunna Paese -

Lindassol disse...

Olá Ana Claudia, você tem toda a razão. O que já aconteceu comigo milhares de vezes: o marceneiro não faz o projeto nem igual ao que ele mesmo contratou, o pedreiro diz que aquilo não vai dar certo,e quando vemos já modificou e toca quebrar tudo; o pintor ou reclama do material, ou cria algo totalmente "inimaginável". Geralmente fico na fila dos bons profissionais, pois estes tem uma agenda concorridíssima e isto pode significar anos! Se for contratar um design de interiores vou querer ($$$$) que ele acompanhe, agencie e contrate todos estes profissionais. Quem sabe ele tenha uma voz ativa mais eficaz que a minha!!!

Novità Design em Ambientes disse...

Infelizmente isso acontece muito mesmo! Nós passamos por situações parecidas diversas vezes! Os profissionais que executam a obra sempre colocam empecilhos para os clientes, porque já estão acostumados a fazer de outra forma, e não ousam. Aí, aonde fica o diferencial do projeto?!

Sherol Vinhas disse...

O bom Ana, é quando o "cliente" acha que sabe decorar e depois do projeto pronto e aquisição dos móveis, ele vai e troca tudo em outra loja mais cara só porqe fulano ou beltrano disseram que esta "marca" é muito mais vista pela sociedade que ele frequenta ou quer chamar a atenção, sendo que o próprio cliente foi levado a tal loja e achou MUITO CARO as peças de lá, e muda tudo de lugar, deixando de uma tal forma que não da para se movimentar direito no ambiente, fora praticamente tudo que vc já disse. É por isso que tenho me desanimado em investir mais nesta profissão, mesmo amando demais. Assim tenho preferido criar minhas peças mesmo.
Abraços e bola pra frente.

Renata Prado disse...

E amiga você não esta sozinha,parece que sou eu falando,Sou Designer de Interiores a 15 anos ,so consigo que as coisas saiam como o projeto esta quando acompanha a obra indo todos os dias,so que isso gera custos mais os clientes não querem pagar a mais por esses serviços,ai chega um pedro bô que não estudo nada e fala que o projeto que aprendendmos e nos formamos na faculdade não da pra fazer,e o pior o cliente escuta eles.
muitas das vezes os clientes ignoram nossas indicações por acharem que vamos receber por isso.e triste!

Renata Prado
www.redecorando.blogspot.com

val disse...

acho que, ao se inciar um projeto devemos tentar conhecer o cliente ao máximo: tamanho da família, gostos, rotinas diárias, profissão, necessidades, se viaja muito, se recebe, se tem animais, se é moderno, clássico, arrojado, organizado, despojado, jovem, velho, casado, solteiro...Enfim, TUDO. Isso só acontece com reuniões, entrevistas e com a experiência mesmo. Na minha opinião, qdo se contrata um profissional, seu trabalho é dividido em duas partes: o projeto e a execução do mesmo. Se vc for contratado tb para fazer o gerenciamento da obra, este deverá ser feito por uma equipe sua, exclusivamente. Não adianta o cliente querer fazer com outras pessoas. Isso lhe garantirá a execução conforme a sua ideia. Se quiser fazer com outras pessoas, paciência se o projeto mudar. Vc recebeu para fazer o projeto e nada mais. Tem que deixar isso muito claro no contrato. E este deve ter prazos a serem cumpridos conforme as etapas e, caso algo dependa do cliente, no mesmo contrato deve ser especificado que isso acarretará no atraso do projeto. Acredito que um contrato bem elaborado facilita para ambas as partes.

Tania disse...

Muito pertinente seu 'desabafo'!
Sou designer de interiores em Curitiba e passo os mesmos problemas! Muitas vezes não consigo postar fotos de antes e depois porque o 'depois' não tem nada a ver com a linda perspectiva que foi feita...É bastante desanimador! Ás vezes prefiro cobrar apenas projeto sem acompanhamento para não me decepcionar depois.
Abs. solidários!
Tania

Amanda Paula disse...

Oi Ana Claudia, tem uma brincadeira para vc la no blog.

Bjs

Eliana disse...

Ana, nunca nenhuma designer interpretou tão bem e á risca os meus sentimentos, até parece que você é advinha ou vidente.
Você colocou exatamente tudo o que acontece comigo, e pelo que li dos comentários, acontece com várias pessoas.
Já fiz projetos de mobiliário de uma casa completa e sugeri o melhor marceneiro que conhecia, a cliente achou caro e procurou o profissional mais barato, resultado estão brigando na justiça para devolução do dinheiro, depois foi no marceneiro que eu havia indicado fez todos os projetos diferente e não me comunicou, é mole ou quer mais.
Você fez um post perfeito, e colocou com todas as letras o que costumamos passar, só esqueceu de colocar que no fim da obra ainda levamos o nome no projeto que fizemos e não foi executado e com a cara de pedreiro, gesseiro, eletrecista, pintor, serralheiro e outros.
Beijo grande

Elaine disse...

Ana, lamentável mesmo, todas as profissões tem um lado ruim, mas a desconfiguração de um trabalho bem feito é realmente revoltante.
Para resumir, faltou para esta cliente, essencialmente uma coisa: confiança, talvez ela não confie nem nela mesma.
Tem selinho em meu blog pra voce, e aproveitando a oportunidade, parabéns pelo seu talento e bom gosto. Bjs

ZOCA disse...

Adorei Ana Claudia, é isso mesmo que acontece ..mas hoje procuro só pegar trabalhos que realmente a pessoa confie em mim, e que a minha energia combine com a dela.
Aviso sempre que vão chegar os profissionais, que querem mudar alguma coisa mas, peço a eles que me avisem para discutirmos as mudanças(luciana, no nosso trabalho não reclamamos as mudanças ainda mais qdo se já passou tanto tempo do projeto inicial, a questão aqui, são as mudanças sem nosso conhecimento e feitas por profissionais de areas diferentes).Aqui ainda é pior(cidade de interior, todo mundo é design desde que tenha bom gosto,o nosso curso aqui eles nem sabem que existe(acho Eu).E aqui ainda tem as amigas que te pedem umas ajudinhas e vc mexe e muda cor, sugere e depois elas falam com as amigas que foram elas ..srrssr e começam a decorar a casa das amigas se achando .. os erros de circulaçaõ são gritantes e as vezes vc olha para uma parede e vê ela torta, por causa dos quadros ....Seja Bem Vinda minha amiga :) Abraços

Anônimo disse...

o problema é que às vezes sabemos que vcs arquitetos e decoradores indicam os "profissionais" que dão comissão!! E é aí que o cliente tenta comparar com outros "profissionais" . Já usei "profissionais" indicados pelo meu arquiteto que tbém fizeram muita besteira!

Anônimo disse...

Entendo perfeitamente essa má experiência que você teve com essa cliente e estou a poucos anos nessa carreira, porém, eu sempre faço questão que o cliente feche além do projeto gráfico comigo, a execução também, porque é vital para sáude de um designer ter uma boa equipe de execução de mão de obra para evitar esse tipo de aborrecimento e se caso o cliente insistir em fazer por conta, deixe por escrito no contrato que você se exclui por quaisquer problemas que venha a acontecer na execução, tipo um marceneiro que faz um móvel maior ou menor que o espaço, etc e nunca distribua cópias de perspectivas para clientes ficarem analisando em casa, porque o meu primeiro e grande calote foi com um médico que me pediu que enviasse essas perspectivas para ele analisar, resultado enviei e ele nunca mais fez contato e também nunca dou dicas, só se fechar logo o projeto. Hoje em dia, quando vou fechar com o cliente, entrevisto ele na obra e dou logo o valor do orçamento, depois faço um layout e se ele aprovar, me paga logo 50% adiantado e o restante na entrega. Boa Sorte!

Ps. Eu sonho com o dia em que vou pegar um cliente que tenha muita grana e não limite a minha imaginação por falta de dinheiro rsrsr

Anônimo disse...

Concordo plenamente com seu desabafo, já passei por situações semelhante onde fui contratado para reformar um apartamento, fizemos reuniões, acordamos tudo em contrato, apresentei anteprojeto e projeto final com todas as especificações inclusive cores a serem pintadas, na sala tínhamos determinado e especificado em projeto uma parede para ser pintada com uma cor de destaque, chegando na fase de pintura ao final do dia passei na obra e acertei tudo com o pintor qual seria a parede e a cor a ser pintada, no outro dia passei novamente na obra e deparei com a surpresa, a cor era a combinada a parede não, chamei o pintor e perguntei quem tinha autorizado e quando estava conversando com o mesmo, saiu do interior do imóvel o cliente e a enteada, ela toda arrogante disse, fui eu, sou moradora dessa casa não posso dar palpite? Eu respondi que era uma falta de respeito com meu trabalho, depois de reuniões, apresentação de projetos e aprovações, chegando ao final da obra aparece ela que não participou de nenhuma reunião querendo modificar o que tinha sido aprovado pelo padrasto e a mãe que era os verdadeiros clientes , o padrasto não falou nada, fui embora chateado e ao chegar em casa a esposa dele mi ligou pedindo mil desculpas que a filha não podia fazer o que fez e que eu tinha toda razão e pediu que eu autorizasse o pintor a fazer o trabalho como tínhamos acordados.
Vimos em seu desabafo e nos comentários que é muito raro o cliente assumir a responsabilidade quando dá errado, contratam profissionais de execução menos qualificados para pagar menos, não querem aceitar profissionais indicados achando que vai pagar mais caro sendo que esses profissionais são aprovados por já ter feito outros trabalhos e por arrogância, porque está pagando acha que deve desrespeitar o contrato que o assinou, esse contrato só deve ser respeitado pelo contratado?
Temos que reconhecer também que tem muitos profissionais de Arquitetura e Design de Interior que estão no mercado, fecha o contrato com o cliente para fazer o projeto e executar, contrata também profissionais de execução com menos qualificação para pagar menos e sobrar mais pra ele e quando não dá certo joga a culpa em quem executou, estou falando isso porque sou Design de Interior e tenho uma marcenaria e tenho pegado alguns projetos de Arquiteto e Design de Interior que é uma barbaridade, entrega pra o cliente uma vista superior e uma vista frontal sem detalhamento algum querendo que se adivinhe o que ele quer e quando dar errado joga a responsabilidade para o marceneiro, muitos profissionais estão ai projetando sem conhecimento de processo de fabricação para que se faça um detalhamento com otimização e plano de corte dizendo meu marceneiro já sabe como é que faz e quando não dá certo tira o corpo fora e tenta sair da responsabilidade, não pego um trabalho com projeto de terceiros sem que tenha um detalhamento e tudo acordado em contrato.
Abraço

Marizabel Brandão disse...

Impressionante como isso acontece com frequencia; agora estou mais intrasigente e direta com os meus clientes e as coisas melhoraram. E por falar em pontos de tomadas e iluminação, já teve problema com o Crea? eles fazem questão de pegar no nosso pé.

carol disse...

Ana Claudia, simplesmente me senti dentro do seu desabafo. Também sou designer de interiores e já sofri com isso que você relatou.. exatamente deste jeito, neste contexto, com estes "profissionais" e tudo mais que você relatou. Pelo menos uma coisa me deixou "aliviada": "O probelma não é comigo!!! UuuuFA!"
Valeu pelo desabafo
Abraço

Jenifer disse...

Oláá...vi seu blog por acaso e queria tirar uma dúvida! Eu quero fazer Designer de Interiores, mas queria saber se é um mercado promissor, se é vantajoso fazer e quais foram seus desafios no inicio da carreira?

Fico grata se responder!
Beijos

Anônimo disse...

Minha opinião:
Ser designer de interiores é um desafio, lidamos com pessoas o dia todo que querer colocar em dúvida nossa capacidade, nosso intelecto, nosso bom gosto. Isso chama-se inveja. Atravessadores são comuns e se o D.I. Não tiver peito para derrubá-los , eles nos derrubam!!!
Depois de alguns anos de experiências boas e ruins, penso se o cliente me contrata , me paga e ainda quer exatamente do jeito dele, paciência!
Não fotografo, não mostro e nem comento sobre a obra. A casa é dele, ele que se vire em explicar aos amigos as cagadas dele.

Anônimo disse...

Luciana, vc foi mt infeliz em sua contratação!
Primeiro arquiteta não tem nada a ver com designer de interiores, a não ser que ela tenha feito um curso após ou antes da faculdade de arquitetura.
Lê-se médico cirurgico não consegue fazer o papel da enfermeira, então cada macaco no seu galho. Da próxima vez pesquise antes de contratar. Para não errar de novo! E não confuda DI com Arq. Obrigada

Anônimo disse...

Querida estou precisando de umas bancadas de banheiro. Você poderia me indicar umas marmorarias boas em Brasilia?? Obrigada, Josi
josileite@yahoo.com.br

Anônimo disse...

tudo isso e veridoco
mas se o profissional desiner acompanhasse todas as operacoes q certamente fazem parte do orcamento certamente nada disso aconteceria ,entao nao vamos criticar mudancas de outros se nao fizemos nossa parte certo?

Anônimo disse...

Você é uma Designer de Interiores, e não um design. Designer é quem faz, e design é o que é feito. Está escrito errado.

Anônimo disse...

Ana Paula, entendi e me vi no lugar de sua cliente e já imaginei o q a minha arquiteta esta sentindo....
Concordo nao ser facil, hj lendo seu post pude entender a indgnaçao da parte de vcs, mas e o nosso lado? vc ja se colocou no lado da cliente?
A ideia é do arquiteto supervisionar a obra e orientar todos os pontos para os pedreiros e os clientes. Porem o arquiteto e design tem uma visao diferente, querendo oferecer o melhor e mais moderno, isso é lindo mas onde entra a parte financeira?
Matem a mae do brasileiro mas nao lhe tira 1 real, nao é o q dizem?
Pois é, essa questao da cotaçao sabemos q sempre entra a comissao e indicaçao, o arquiteto oferece o melhor, mas nem sempre o melhor é o mais caro ou mais moderno. Colocar pastilhas é lindo, mas e paga las?
Existem mudanças no projeto pq alguns profissionais fazem mas esquecem do perfil do cliente, no meu caso eu pedi sim o auxilio do arquiteto porem eu disse q queria o mais simples, mais economico...acho q ele se esqueceu, foi entao q eu comecei a mudar.
Como em 5 orçamentos feito por ele da um valor e 2 feito pelo cliente da outro bem menor?
Qdo se trata de dinheiro todos desconfiam mesmo.
Tirando gostos e belezas acho q o maior problema realmente é o dinheiro.
Nao sei como expressar, mas tem hora q acho q meu arquiteto viaja, nao quero o q ele acha bonito colocar, o q ele acha moderno e funcional nao combina comigo, acho q ele custa entender isso. Nao podemos pagar um arquiteto pra nos ajudar e aceitar tudo como ele prefere, temos q ter nosso gosto e modo tbem, afinal pagar e ficar insatisfeito apenas pra nao contraria lo é dificil ne?
Mas pelo q sinto é como entender a cabeça de um artista com uma pessoa q nao entende de arte, com certeza gerara conflito.
Estou passando por isso e digo q esta dificil, na tentativa de me resolver e ajudar nas questoes me vejo pagando pra ter um problema a mais....
existe sim os dois lados, assim como foi comentado acima, acho q me encaixo neste perfil de cliente, porem com motivos desconhecidos ou ainda nao divulgados que é a visao do clientex visao do arquiteto.

Sara disse...

a verdade é que eu gostaria de aprender um pouco mais antes de fazer as coisas como você está, porque ainda me dá um pouco de medo de qualquer maneira eu acho que é interessante e eu acho que enquanto eu alimentar os restaurantes em sao paulo

MuriloZad Design disse...

Minha querida, não faça isso com a nossa profissão, você é uma DESIGNER de interiores, e não uma DESIGN de interiores, design = profissão, designer=profissional, o titulo do seu post faz tanto sentido quanto "desabafo de um medicina" ou "desabafo de uma arquitetura"

Anônimo disse...

Olá, muito Boa Tarde.

Também sou designer de interiores, comecei como projetista de móveis a domicílio, mas no final das contas você acaba precisando ir nesta área justamente por que os clientes perguntam, acaba sendo necessária certas reformas para poder encaixar os móveis, fazem perguntas para indicação de pedreiros e por diante.
No meu caso tenho que ser mais frio e direto, pois esse seu relato já aconteceu comigo. Hoje, eu cobro meu serviço até entregar todo o projeto sem execução, só desenhos. Se o cliente quiser continuar a execução do projeto comigo, pois bem, eu tenho parcerias, com pedreiro, marceneiro, eletricista, todos de confiança, porque eles já sabem como sou chato e o jeito que eu trabalho.
Se o cliente já tiver quem execute, o problema é do cliente, a partir daí eu não ponho mais o dedo.
Ou fecha contrato com execução, ou fica no desenho. Se fez errado e vir até mim, cobro para averiguar apenas medidas, nem me atenho pelo que vão mudar esteticamente, justamente porque minha parte do contrato eu já fiz.
já chorei muito, já fiquei triste por projetos que saiu diferente como deveria, mas é com os erros que você se torna mais forte.
Hoje olho para um ambiente e sei o quanto o cliente vai gastar, a cultura do cliente, o modo de pensamento, modos da família. Pois o mundo sempre dá rasteiras, você imagina uma coisa e acaba levando um tapa de luvas.
No campo dos designers nunca duvide de uma pessoa humilde e trabalhadora, pois é aquela que vai te pagar a vista. O caminhoneiro te dá 70 mil a vista e o empresário te dá 100.000 parcelado. Mas a cada empresário que você fecha, existem 5 caminhoneiros para conseguir fechar contrato, pois eles também tem dinheiro, a única dificuldade é em saber lidar com esses clientes de cultura mais humilde.

Fica a Dica,