22 de set de 2008

PEDRAS










As rochas, por sua durabilidade e fácil manutenção, são empregadas há milênios em pisos e pavimentos.
Os diferentes tipos de pedra e suas características Graças à durabilidade e aos efeitos estéticos que proporcionam, as pedras ornamentais constituem uma ótima opção de revestimento para pisos e paredes, tanto em ambientes internos quanto externos. Para alcançar os resultados pretendidos é preciso considerar as particularidades de cada pedra, tais como o índice de absorção de água e os tipos de tratamento que podem ser aplicados. Veja uma breve descrição das pedras mais usadas no Brasil e suas principais características:
Ardósia -- Não é indicada para calçamento externo pois esquenta bastante, além de ser lisa e escorregadia quando molhada. Pode ser usada para fazer detalhes ornamentais, desde que colocada com grande espaço de rejunte e que seja usado rejunte de boa qualidade, com elasticidade. A ardósia é encontrada nas cores verde, preta e cinza, esta última a mais comum e barata. Pode ser fornecida em lajotas retangulares -- geralmente 40x40cm -- ou em placas irregulares, para um efeito mais artístico. Em termos de manutenção, precisa de limpeza constante, mas mancha com facilidade, recomenda-se limpar apenas com sabão neutro, evitando escovas e outros abrasivos. Para selar seus poros o ideal é colocar uma camada de resina, mas isso deixa a pedra ainda mais lisa.
Granito -- De resistência bem alta, em estado bruto é indicado para calçamento de ruas ou qualquer outro espaço de tráfego intenso ou de serviços pesados. Pode ser polido, lustrado, apicoado, levigado e flameado, nestes casos sendo próprio para revestimento de pisos e paredes, interno ou externo, inclusive formando desenhos das mais diversas formas (vide foto ao lado). É encontrado, do mais barato ao mais caro, nas cores: cinza, vermelho, verde, amarelo, preto e azul. Para limpeza, usa-se água e sabão neutro.
Miracema -- É encontrada na natureza em forma de placas, tem preço acessível, resiste bem a choques mecânicos e a intempéries e, por isso, é aplicada em estado bruto nas áreas externas, até por ser antiderrapante. A miracema-madeira é amarelada devido à presença de óxido de ferro, enquanto a miracema comum é encontrada nas cores cinza, bege e rosa. Sua colocação não precisa de mão de obra altamente especializada e é possível variar o corte e a amarração, numa grande variedade de desenhos. Precisa de manutenção constante, para que não absorva sujeira e não fique encardida.
Arenito -- Usado apenas no estado bruto, é comercializado em placas e em diversos outros tipos de corte. Quando utilizado nos calçamentos em conjunto com o basalto e o mármore forma o chamado mosaico português. Pode ser usado também em paredes, conferindo um aspecto rústico ao ambiente. Disponível em quatro cores: mostarda, branco, preto e vermelho. O assentamento é demorado e precisa de mão de obra especializada. A manutenção é fácil, mas precisa de limpeza e manutenção constantes, sendo que algumas pedras do mosaico podem descolar com o tempo. A limpeza requer apenas água e sabão.
São Tomé, Mineira, Goiás, Itacolomi e Quartzito - São rochas flexíveis, antiderrapante, muito absorventes e que não propagam calor. Indicadas para o revestimento de beiras de piscinas e áreas de lazer. A limpeza se faz com água e sabão, sendo por vezes necessária a contratação de uma empresa especializada para uma limpeza mais profunda com ácido muriático pois mancha com facilidade.
Seixo rolado -- Tem formas arredondadas devido ao movimento das águas dos rios, de onde é retirado. Aquece pouco e sua utilização se dá em jardins, muros e ornamentação de paredes. Apesar de duro e resistente é inadequado para pisos externos, a não ser como decoração localizada. Isto porque não dá estabilidade para a circulação e pode ficar escorregadio, caso não sejam previstas juntas maiores entre as pedras. A limpeza é fácil, mas as pedras se soltam facilmente se não forem bem calçadas com massa.
Mármore -- Formado por carbonato de cálcio e outros componentes minerais que definem sua cor, tem centenas de tonalidades e desenhos, do branco ao preto passando por diversos matizes de marrom, vermelho e bege. No Brasil já foram catalogados mais de trinta tipos diferentes nativos, sem contar os importados. É durável e resistente a impactos, embora se desgaste facilmente quando sujeito à abrasão. É recomendado para pisos e paredes em ambientes internos, desde que não haja circulação excessiva de pessoas. Aceita todos os tipos de tratamento e pode ser limpo com água e sabão neutro. O tipo travertino apresenta fissuras que exigem estuque para preencher os vazios, por isso sua limpeza é feita somente com pano

5 comentários:

margaret disse...

Adorei a aula sobre pedras...seu sempre achei lindo mas nunca sei o que é ideal para que....Acho que quando bem usadas dão um toque especial...falando nisso lembrei de uma vizinha que comprou uma casa pertinho da minha em Jacuipe. O antigo dono encheu a casa de pedras, mas de um mal gosto insuportavel...a dona atual diz que bota a mao na cabeca (ta no meio de uma enorme reforma) e pensa: eu tava maluca quando comprei essa casa...Mas acho que depois da reforma vai ficar bem legal...

Vivian disse...

muito inspiradoras as fotos e bem explicadinho o seu post sobre os diversos tipos e usos das pedras
boa semana

Viviany disse...

Ana , de muuuito bom gosto sua seleção de imagens ,parabéns ! A aula tbm valeu ...
Sempre passo por aqui , mais só hoje tive "coragem" de virar blogueira de verdade , adoro suas idéias , Parabéns .
Bjo*

Vera disse...

Adorei algumas soluções....particularmente tenho um pouco de medo de trabalhar com pedras...mas vi bastante coisa legal nessas idéias.
bjo

Janice disse...

Ana,
que ambientes lindos! O banheiro da terceira foto é dimais.
Beijo.