1 de abr de 2008

O HALL DE ENTRADA É CONSIDERADO O CARTÃO-POSTAL DE UM CONDOMÍNIO


maquetes cyrela




imagem Allan Tanksley












imagem yid






Hall de entrada de prédios comerciais podem ter um visual mais moderno com uso de mármores, granitos, aço, vidro, etc.






Um hall de entrada apresentável e um salão de festa bem mobiliado valorizam o imóvel.
A maioria das pessoas que entram em um prédio tem obrigatoriamente que passar pelo hall e se este transmitir a sensação de abandono ou má conservação poderá causar desinteresse em futuros compradores ou locatários
Portanto, se está na hora de renovar a decoração desses espaços, ou ainda se o prédio é novo e foi entregue pela construtora sem móveis (o que é muito comum), é oportuno contratar um designer para a compra de móveis e objetos que irão compor o hall, pois o profissional irá observar a durabilidade dos móveis, a segurança, a cores que serão usadas e o tamanho dos adornos que devem ser grandes para evitar roubos.







O hall não é um local indicado para a permanência de pessoas, sejam moradores ou visitantes. Mas é o hall que identifica o estilo de um prédio.







Em hipótese alguma, o hall pode ter uma imagem de desleixo ou má conservação, pois é a partir dele que temos a impressão de que o edifício foi bem construído e que suas instalações estão em perfeitas condições.







Antes de escolher qualquer material para a decoração do hall, é fundamental definir o perfil do prédio e de seus moradores.
Se o condomínio tem uma boa área de lazer, com piscina e playground, é óbvio que terá muitas crianças.
Idosos e portadores de necessidades especiais merecem atenção especial, nada de tapetes e pisos escorregadios.
Decorar as áreas comuns (churrasqueiras, piscinas, brinquedotecas, garagem, salão de festas, coberturas, etc) do condomínio requer muita habilidade na especificação dos móveis e materiais de acabamento.
Devemos respeitar a função de cada espaço para que a beleza não sobreponha o uso do ambiente. Prédios sofisticados costumam ostentar uma decoração sóbria e requintada.







O decorador precisa escutar os condôminos, saber qual a expectativa deles com relação ao trabalho e preparar um planejamento de custos, de acordo com a verba existente.
O ideal é contratar os serviços de um designer e pode ser nomeada uma comissão de moradores que acompanhe o trabalho do decorador, para garantir que o resultado fique de acordo com o esperado.







O ponto de partida do projeto de decoração de um hall, segundo alguns profissionais, é analisar o estilo do prédio. Porém, dos projetos mais clássicos aos mais ousados, o hall jamais deve ser parecido com uma sala de visitas: quanto menos itens no hall, melhor.
É recomendado que sejam trabalhadas mais as estruturas do espaço do que propriamente a decoração.







Paredes de drywall com nichos, uma boa iluminação, espelhos ou uma escultura são alguns exemplos de soluções arquitetônicas para halls.







Quanto aos móveis, pode ser um pufe, uma cadeira ou um sofá de forma mais orgânica, sem que precise ser necessariamente confortável. Os revestimentos dos estofados devem ser de fácil limpeza, como camurça ou couro.
Para as paredes, laminados de madeira, revestimento de papel de parede, palhas naturais, fibra de vidro ou seda. Cores sóbrias, linhas retas, detalhes sofisticados sem exageros.

Nenhum comentário: